Nasce Um Bebê e Com Ele, Uma Mãe!

Oi, Mamães!
A postagem demorou a sair, porque hoje não tivemos um dia fácil! Parece até mentira, mas por pura coincidência, hoje eu acordei planejando fazer um post sobre os dias difíceis da maternidade. (Tenho que começar a rever as coisas que eu pretendo escrever… Rsrsrs) 🤔🤔🤔
Heitor não foi para o desfile cívico da escola porque acordou doentinho e combinou com Helena para ela passar o dia querendo colo, aí para completar o pacote, uma dor de cabeça “arrochou” em mim e, como eu tava sozinha em casa, só podia olhar para um lado, para o outro e chorar… 😭😭
Que mãe nunca passou por isso? É aquela hora que a gente para e pensa: “Meu Deus, onde é que eu fui me meter?”
Calma! Não se sinta culpada! Fazer esse tipo de questionamento, de vez em quando, não significa dizer que você não ame seus filhos e que faria tudo novamente por eles, mas que você é um ser humano que também adoece, sente fome, dor e possui necessidades próprias…
Me lembrei de quando Heitor nasceu. Eu que me sentia a Super-Mãe-Enfermeira-Preparada-Que-Não-Precisava-Da-Ajuda-De-Ninguém, quando me deparei com aquele bebê de 4kg, que mamava por horas seguidas sem me deixar nem ir ao banheiro! Toda a maternidade que eu idealizava (e achava que ia tirar de letra) foi por água abaixo…
Naquele momento, com os mamilos rachados, eu compreendi porque as pacientes não nos obedeciam! (Rsrs…) Ora, se eu que era enfermeira e sabia de toda a teoria quase desisti de amamentar, imagine quem não tem tanta informação assim? Desiste mesmo!
Então, diante daquele bebê cabeludo completamente depende de mim, eu decidi que nunca mais julgaria nenhuma mãe, pois cada mãe tenta dar o seu melhor, embora o “MELHOR” de cada mãe seja algo relativo. Relativo a sua idade, a sua maturidade, ao seu nível de instrução, ao seu poder aquisitivo…
Então, eu prometi a mim mesma que tentaria ser a melhor mãe que eu pudesse ser!
Os primeiros dias do pós-parto são tensos mesmo! Além das mudanças físicas a gente ainda tem que lidar com uma série de conflitos emocionais que muitas vezes nos frustram, irritam e preocupam.
A famosa Melancolia Pós-parto ou “Blues puerperal”, que de azul não tem nada… A única coisa boa é que ela só dura, aproximadamente, 2 semanas e, conforme a rotina vai se ajustando as coisas vão melhorando.
Mas, ATENÇÃO! Não devemos confundir “Blues puerperal” ou “Baby Blue” com depressão pós-parto! São duas coisas distintas! Todas as mulheres vão passar pelo Blues, mas apenas algumas irão desenvolver a depressão pós-parto (tema que falaremos em outro post).
Portanto um conselho que eu dou é: no seu puerpério, tenha, perto de você, pessoas em quem você confia! Pois se você se sentir segura, será mais fácil atravessar essa fase com tranquilidade!
Por hoje é só!
Beijão e até a próxima! 😘🙋
mamaeenfa

Sobre o autor | Website

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

Seja o primeiro a comentar!